UE vai discutir situação de Cabo Delgado e da Ucrânia

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) reúnem-se, segunda-feira, para discutir a situação na província de Cabo Delgado, em Moçambique, e analisar a tensão entre Ucrânia e Rússia.

De acordo com o Observador, os ministros vão ainda trocar impressões com o chefe da diplomacia ucraniana sobre as tensões com a Rússia.

A reunião, que irá decorrer por videoconferência e será presidida, a partir de Bruxelas, pelo Alto Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, Josep Borrell, abordará, num primeiro momento, os temas de assuntos correntes, onde consta a situação em Cabo Delgado.

Após o ataque recente na vila de Palma, que provocou dezenas de mortos e obrigou à fuga de milhares de residentes, agravando uma crise humanitária em que já morreram mais de 2.500 pessoas e 700 mil estão deslocadas, os chefes da diplomacia europeia irão procurar “contribuir para encontrar uma solução à crise que se vive em Cabo Delgado”, segundo fontes europeias.

“É uma crise com origem muito complexa, por isso estamos a considerar diversas opções para ajudar a resolvê-la, incluindo através de uma potencial missão não executiva, ou seja, uma missão sem meios militares, no âmbito da Política Comum de Segurança e de Defesa” da UE, referem as mesmas fontes.

Os chefes da diplomacia da UE irão também abordar a actual situação no Myanmar (antiga Birmânia), onde, após um golpe de Estado em 01 de Fevereiro, têm ocorrido várias manifestações contra a Junta Militar que se apoderou do poder, a que o exército respondeu com uma violenta repressão que já fez 720 mortos e três mil detidos.

Além dos assuntos correntes, dois temas constam na agenda dos ministros dos Negócios Estrangeiros: as actuais tensões na fronteira entre a Ucrânia e a Rússia, e um ponto de situação sobre a Etiópia, escreve o Observador.

Deixe seu comentário