Timor-Leste recebe primeiras 24 mil doses de vacinas contra COVID-19

As primeiras 24 mil doses da vacina da AstraZeneca chegaram a Díli, capital de Timor-Leste, esta segunda-feira. A prioridade será a vacinação dos profissionais de saúde que estão na linha da frente.

Durante a cerimónia de boas-vindas às caixas de vacinas, que foram colocadas nos carros frigoríficos e vão agora ficar na farmácia central do Governo, a ministra da Saúde, Odete Belo, apelou à participação de todos na vacinação.

“Obrigado por todo o trabalho que os funcionários de saúde, as equipas de linha da frente e os nossos parceiros têm feito para combater a COVID-19 e para ajudar a salvar a vida da população”, afirmou Odete Belo, citada pelo Observador.

“Hoje é um passo importante, o termo de entrega das primeiras vacinas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) ao Ministério da Saúde. O processo de vacinação vai avançar e o primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, vai ser o primeiro vacinado”, disse a ministra da saúde.

Na ocasião, a ministra reiterou a segurança e eficácia da vacina. “Estamos a continuar o nosso trabalho para sensibilizar a população para a necessidade de se vacinarem. A vacina é eficaz, é de qualidade e devem todos vacinar-se”, considerou.

Segundo a Lusa, o objectivo das autoridades timorenses é iniciar o programa de vacinação em que, numa primeira fase, serão imunizados os trabalhadores da linha da frente, a 07 de abril, quando se assinala o Dia Mundial de Saúde.

No âmbito da campanha de sensibilização da população, os primeiros vacinados serão os titulares dos órgãos de soberania, o Presidente da República, o presidente do Parlamento Nacional, o primeiro-ministro e o presidente do Tribunal de Recurso.

Da campanha, farão, ainda parte, as vacinações dos líderes religiosos e líderes históricos nacionais, incluindo Xanana Gusmão, Mari Alkatiri e José Ramos-Horta.
O novo responsável do UNICEF em Timor-Leste, Bilal Aurang Zeb Duni, disse à Lusa que este é o início de um processo que vai continuar, ao longo do ano, com vários carregamentos.

“Este é o início de uma longa jornada. Apoiamos no transporte das vacinas para Timor-Leste para que, rapidamente, se possa iniciar a vacinação e temos um plano de distribuição para todo o país”, referiu.

Reconhecendo a pressão que há actualmente, a nível global, na produção das vacinas, Bilal Aurang Zeb Duni disse que “numa primeira fase, serão as equipas da linha da frente, mais expostas à COVID-19, a ser vacinadas”.

“Esperamos receber o próximo carregamento em breve e completar, na segunda metade do ano, mais de 20% da população”, afirmou.

Já o responsável da Organização Mundial de Saúde (OMS) em Timor-Leste, Arvind Mathur, destacou a importância do momento “pelo qual esperou todo o país”, recordando que a vacina chega “quando ainda há grandes carências a nível mundial”.

O responsável da OMS referiu o impacto da iniciativa Covax em fazer chegar as vacinas aos países mais carenciados.

“A chegada das vacinas que hoje recebemos simboliza a esperança e a promessa de melhores tempos no futuro”, disse.

“As últimas semanas têm sido difíceis para todos nós, especialmente para os funcionários de saúde que estão a responder ao aumento diário de casos da COVID-19”, referiu o responsável da OMS.

Deixe seu comentário