Guterres lamenta um milhão de mortos e diz que mundo tem de aprender