“Os médicos não são cobardes e mereciam um pedido de desculpa público”