Rússia aprova terceira vacina contra COVID-19

O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, anunciou ontem que a Rússia aprovou o uso da sua terceira vacina contra a COVID-19, a CoviVac, avança a Reuters.

A nova vacina está a ser desenvolvida pelo Centro Científico Federal de Investigações e Desenvolvimento de Fármacos Imunobiológicos M.P. Chumakov, e poderá produzir 10 milhões de doses por ano, escreve o Observador.

Tal como sucedeu com as duas anteriores, a vacina foi aprovada ainda antes de serem conhecidos os resultados dos ensaios clínicos de larga escala.
“Hoje, a Rússia é o único país a ter três vacinas contra a COVID-19”, disse Mishustin, Notícias ao Minuto.

A CoviVac requer a inoculação de duas doses, que devem ser administradas no espaço de 14 dias, refere a fonte.

A Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, foi a primeira vacina a ser aprovada pela Rússia, em Agosto e foi mesmo a primeira vacina contra a COVID-19 a ser aprovada no mundo, embora a sua efetividade tenha suscitado dúvidas entre a comunidade científica internacional por ter sido aprovada antes de ter início a fase final dos ensaios. No entanto, os resultados da fase 3 dos ensaios clínicos, que foram validados por especialistas independentes, indicaram que a Sputnik V tem uma eficácia de 91,6%. Mais de dois milhões de russos já foram inoculados com a primeira dose desta vacina, escreve Notícias ao Minuto.

A segunda vacina foi desenvolvida pelo Instituto Vector e está agora a começar a ser administrada.

A CoviVac é uma vacina diferente das outras duas. Foi concebida a partir de um Coronavírus inativado, ou seja, que perdeu a sua capacidade de se replicar.
“A vacina que desenvolvemos… reflete toda a história da Rússia, assim como da ciência global das vacinas”, afirmou Aidar Ishmukhametov, o director do Centro Chumakov.

A principal vantagem da CoviVac é que oferece uma resposta imunitária mais ampla, que deve proteger de qualquer estirpe do SARS-CoV-2, revelou o virologista Alexander Chepurnov ao Lenta.RU.

As primeiras 120 mil doses da CoviVac vão ser produzidas para fazerem parte do programa de vacinação russo já a partir de março, adiantou o primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário