REACÇÕES EM TORNO DA MORTE DO PRESIDENTE DO MDM E EDIL DA BEIRA, DAVIZ SIMANGO

A família moçambicana perdeu um líder com o desaparecimento físico do Presidente do Movimento Democrático de Moçambique, Daviz Simango.

Esta é a reacção do partido Frelimo, por conta da morte do também Edil da Beira, vítima de doença na vizinha república da Africa do Sul.

O Secretário-Geral do partido no poder, Roque Silva, anota que este constitui um momento de dor e consternação de toda sociedade moçambicana.

Por sua vez o porta-voz da Renamo, José Manteigas, descreveu o papel preponderante que Daviz Simango desempenhou na consolidação da democracia moçambicana.

Já o presidente da Associação Nacional dos Municípios de Moçambique, Calisto Cossa, realça que foi com grande pesar que os membros da ANAMM receberam a noticia da morte de Daviz Simango, quase que logo depois de ter perecido a Edil de Choókwè, num passado recente.

Calisto Cossa sublinhou que tudo será feito para dar continuidade ao legado deixado por Daviz Simango.

O Conselho Municipal da Beira considera que a visão e o legado de Daviz Simango, permanecerão para sempre na história desta cidade.

A Edilidade frisa que Daviz Simango projectou Beira em diversas dimensões e por isso, o maior desafio agora é manter o segundo maior centro do país, na rota de desenvolvimento.

Em conferência de imprensa, o vereador municipal de Infra-estruturas e Construção, Albano Carige, pede calma e união dos munícipes, ao mesmo tempo que apela à valorização dos feitos do Edil e Presidente do MDM.

Nas ruas da cidade da Beira, a notícia sobre a morte de Daviz Simango vai fazendo eco entre um sentimento de incredulidade e choque. Os populares referem que o autarca deixa um grande vazio.

  •  
    238
    Shares
  • 238
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário