Ponte desaba e isola mais de cinco mil pessoas em Catuane, distrito de Matutuíne

A subida do caudal do Rio Maputo, aliada às chuvas fortes que caem há quase uma semana na província de Maputo, fizeram desabar a ponte que dá acesso ao posto administrativo de Catuane, no distrito de Matutuíne. O facto aconteceu na última segunda-feira. Por conseguinte, um total de 5.825 habitantes de nove povoados daquele ponto do país estão isolados.

“O posto administrativo de Catuane está completamente isolado”, confirmou o chefe do local, Nguiliche Banda, acrescentando que “tanto do lado de Chinhanganine-Catuane, assim como do lado de Porto Herinque para Catuane, não se pode atravessar. Há várias secções da estrada com cortes. Neste momento, não se sai de Catuane”.

Não só não se sai como não se pode entrar para o posto administrativo, por via terrestre. Tendo em conta que o transbordo do rio inundou 2.160 hectares de culturas diversas (milho, feijão nhemba e mandioca), afectando a 1.800 camponeses, as autoridades locais temem que as reservas alimentares com as quais as populações conta, não sejam suficientes para aguentar até o restabelecimento da travessia pela ponte desabada.

“A população perdeu toda a sua produção porque as pessoas tinham feito a sua produção nas margens dos rios e tudo ficou inundado”, acrescentou, referindo que “esta situação põe o posto administrativo de Catuane numa situação muito difícil e o posto terá dificuldades de abastecer produtos de primeira necessidade”.

Neste momento, quadros da Administração Nacional de Estradas (ANE) estão no terreno à procura de soluções para garantir que no mais curto espaço de tempo a situação esteja minimizada.

“É uma equipa da ANE, afecta da Direcção Provincial das Obras Públicas e de algumas empresas produtoras no posto administrativo e que estão a criar condições para ver se o mais rápido possível se possa criar condições de deslocação para a zona”, terminou o dirigente.

Sexta-feira, o governador da província de Maputo esteve no terreno e viu de perto o drama da população. Tendo tomado conhecimento do desabamento da ponte, na segunda-feira, foi enviada ao local uma embarcação para garantir o transporte de pessoas e bens entre as duas margens do rio, mas a mesma não foi capaz de chegar ao local desejado, já que as estradas que permitem o acesso à zona também estão intransitáveis. Os efeitos do mau tempo também resultaram no rompimento da represa de Manhaganhe, explicaram as autoridades locais.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário