Outra vez Cairo

Cairo Indoor Stadium, Egipto, voltará a ser talismã para o Ferroviário de Maputo? É, pois, a questão que “assalta” a mente dos amantes da modalidade da bola ao cesto, quando falta pouco menos de um mês para a realização da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol em seniores femininos. É que, onde precisamente a 14 de Dezembro de 2019 o Ferroviário de Maputo, então conduzido pelo matreiro Carlos Ibrahimo Aik, conquistou o segundo anel consecutivo em África, Moçambique procura açambarcar o seu oitavo título na prova continental de clubes.

Mas os números, com requintes de recorde, não se ficam por aí. Nasir “Nelito” Salé, o novo comandante da nau, persegue o seu quarto título na prova continental de clubes, depois de ter alcançado este feito ao serviço do Desportivo Maputo, em 2007, na capital do país, 2008, em Nairobi, Quénia; e extinta Liga Desportiva, em 2012, Abidjan, Costa do Marfim.

Blindada, quiçá para se evitar o contágio da equipa pela Covid-19, as bicampeãs africanas traçam no pavilhão do Desportivo Maputo, onde Nelito e várias atletas ora no Ferroviário de Maputo deram os primeiros passos para colocar Africa a seus pés, traça-se a estratégia para se voltar a campear.
É com um conjunto constituído por atletas experientes como Odélia Eusébio Mafanela, melhor ressaltadora da edição 2019; Ingvild Mucauro; MVP, Deolinda Gimo, Anabela Cossa, Dulce Mabjaia, Onélia Mutombene, Amélia Massingue e novos valores como Stefânia “Formiga” Chiziane que o Ferroviário de Maputo quer atacar o “tri”.

Para esta empreitada, o Ferroviário de Maputo não vai contar com os préstimos de Delma Zita, internacional basquetebolista que se transferiu para o Seward County Community College. Zita foi, nas últimas duas edições, uma das opções de Carlos Aik e Leonel Manhique na posição 1.

Mais: Rute Elias Muianga, jogadora polivalente e experiente que abandonou às quadras depois de ter conquistado as edições 2012 pela extinta Liga Desportiva, 2018 e 2019 pelo Ferroviário de Maputo.

Sem confirmações de nomes ainda, as bicampeãs africanas deverão reforçar-se com atletas do estrangeiro, tal como aconteceu nos últimos anos.

 

SARA OGOKE NA BERLINDA

A internacional basquetebolista nigeriana Sara Ogoke poderá ser uma das opções para atacar a Taça dos Clubes Campeões Africanos, no Cairo, Egipto. Ogoke foi determinante, em 2019, para as “locomotivas” revalidarem o título continental de clubes em seniores femininos.

 

Na final, Ogoke esteve perto de colectar um “triplo duplo” ao terminar o jogo com 22 pontos, sete ressaltos e seis assistências em 45: 00 minutos na quadra.
Nascida a 25 de Junho de 1990, Sara Ogoke conquistou o Campeonato Africano de Basquetebol senior feminino pela Nigéria, em 2017, no Mali, e 2019, Dakar, Senegal.
Ogoki fez ainda parte do “doze” das “D’tigress” que, em 2018, disputou o Campeonato do Mundo da modalidade, em Tenerife, Ilhas Canárias, Espanha.

 

Interclube contrata duas americanas

Depois de ter perdido as duas últimas finais da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol em seniores femininos para o Ferroviário de Maputo, o Interclube prepara-se a todos os níveis para recuperar o trono.

E, para voltar a campear, a equipa de Apolinário Paquete assegurou o concurso de duas norte-americanas, nomeadamente Jade Walker; extremo-poste de 25 anos, 1,89 metros e 105 kg; e Jasmine Gill, extremo-base de 30 anos, 1,87 metros de altura e 75 kg.

Os dois reforços foram apresentados no passado sábado, 13 de Fevereiro, aos sócios adeptos e sócios do clube da polícia.

Jade Walker representou, recentemente, o Niki Lefkada e Faros Keratsiniou da Grécia para além de evoluído na NCAA, precisamente no St. John’s Red Storm
Já a sua compatriota Jasmine Gil representou o Spartak da Rússia, Partizan da Sérvia e Esperides da Grécia.

Estas atletas são a grande aposta das “polícias” que conquistaram a Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol seniores femininos em 2010, 2011, 2013, 2014 e 2016. De resto, o Interclube é o conjunto com mais títulos nesta competição com um total de cinco, seguido do Dakar DC do Senegal e rival 1º de Agosto com três cada.

O interclube escreve, na sua página no “facebook”, que as norte-americanas são reforços de vulto para atacar a Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol em seniores femininos, sendo que as mesmas irão “proporcionar momentos de bom basquetebol aos amantes da modalidade em especial aos adeptos, sócios e simpatizantes da agremiação azul”.

Para além de disputarem o “Africano” de clubes, Jade Walker e Jasmine Gill reforçam o Interclube no campeonato provincial, Taça Março-Mulher, Taça de Angola e Campeonato Nacional daquele país.

INTERCLUBE CONQUISTA TORNEIO DA CIDADE DE LUANDA

Uma vitória sobre o 1º de Agosto por 76-61 foi suficiente para o Interclube conquistar, em Janeiro, a edição de estreia do Torneio Cidade de Luanda.
Ainda assim, e num jogo equilibrado, foi o 1º de Agosto a controlar o primeiro quarto, etapa na qual venceu pelo parcial de 19-18.

No segundo quaro, o conjunto de Apolinário Paquete esteve já melhor a defender e atacar, saindo ao intervalo a vencer por 12 pontos: 40-28.

Se, no segundo quarto as “polícias” apresentaram-se muito bem na quadra, no e quarto quarto quartos dispararam no marcador, alcançando no final uma vantagem de 15 pontos.
O Torneio Cidade de Luanda marcou, nove meses depois, o regresso das provas de basquetebol em Angola.
O certame, que visava assinalar os 445 anos da cidade de Luanda, contou com a participação de Núcleo, Formigas, 1º de Agosto A e B e Interclube A e B.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário