“Operação Marquês”: Juiz decide julgamento de Sócrates

Quase sete anos depois de ter sido detido, José Sócrates fica hoje a saber se vai a julgamento por corrupção, fraude fiscal, branqueamento de capitais e falsificação de documento.

O juiz Ivo Rosa vai dar a conhecer, esta sexta-feira, o futuro de um processo que tem 28 arguidos e, no total, 189 crimes, escreve a RTP.

No grupo dos 28 arguidos encontra-se o antigo primeiro-ministro socialista. Está acusado de 31 crimes; entre os quais, corrupção passiva de titular de cargo político, fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e falsificação de documento.

José Sócrates é suspeito de ter recebido 34 milhões de euros em comissões ilícitas, enquanto chefiava o Governo português, e de as ter depositado em nome do seu primo José Paulo Pinto de Sousa e do seu amigo e empresário da construção civil, Carlos Santos Silva, para afastar eventuais suspeitas de si, avança a imprensa portuguesa.

A leitura da decisão instrutória da Operação Marquês, segundo a RTP, está marcada para esta tarde, no Campus da Justiça, em Lisboa.

A declaração será transmitida em directo pelos órgãos de informação locais.

Segundo escreve a RTP, o despacho tem mais de seis mil páginas. Na sala de audiências, a ouvir a extensa súmula que Ivo Rosa vai ler, vão estar mais de 30 advogados, 15 jornalistas, e dois procuradores.

Deixe seu comentário