Nyusi desafia membros da Frelimo a distanciarem-se da Corrupção

O Presidente da Frelimo e de Moçambique, Filipe Nyusi, reafirmou que o combate à corrupção e sua erradicação dentro do Governo deve começar no seio do partido.

Nyusi falava durante o encerramento da IV sessão do Comité Central (CC) da Frelimo, no qual afirmou que “a partir de dentro, devemo-nos manter firmes no combate sem tréguas contra a corrupção, um fenómeno que afecta a governação, mina a confiança dos cidadãos nas instituições e não contribui para o alcance dos objectivos colectivos.

Citado pelo Jornal Notícia, Filipe Nyusi afirmou que vai “Continuar a combater veementemente a corrupção no seio do partido e nas instituições em que pertencemos, pois o corrupto, o criminoso e o ladrão não se nomeia nem se elege para servir”, assegurou Nyusi.

Para Nyusi, a paz é como o ar e sem o qual a vida não pode existir, por isso, continuaremos abertos ao dialogo construtivo com todas as forças vivas da sociedade, em particular com a liderança da Renamo de modo a acelerar o processo do desarmamento, desmobilização e reintegração.

O presidente da Frelimo anunciou ainda a nova estrutura das brigadas centrais que vão trabalhar nas províncias para as eleições gerais, com o objectivo de garantir uma melhor planificação e funcionamento.

“Assim, a estrutura das brigadas centrais da Frelimo serão as seguintes: província do Niassa é chefiada por Sérgio Pantie e Basílio Monteiro, Cabo Delgado vai a Alcinda de Abreu e Caifadine Manasse, em Nampula foram indicados Eneas Comiche e Carlos Agostinho do Rosário, na Zambézia trabalham Eduardo Mulémbwè e Ana Rita Sithole.

A província de Tete é chefiada por Conceita Sortane e Raimundo Diomba; enquanto Manica é dirigida por Aires Ali e Nyelete Mondlane; em Sofala está na responsabilidade de Manuel Tomé e Esperança Bias; Inhambane vão trabalhar Filipe Paunde e Leonora Mondlane; em Gaza trabalha Tomaz Salomao e Francisco Mucanheia, Província de maputo o gabinete é dirigido por Margarida Talapa e Mariazinha Niquice e a capital do país com Verónica Macamo e Shaquiri Aboubacar

Deixe seu comentário