Não é a primeira vez que Centeno faz um aviso deste género.

Não é a primeira vez que Centeno faz um aviso deste género.

O governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, reiterou, esta sexta-feira, que os riscos de uma retirada precoce dos apoios parecem sérios, pelo que é necessária uma avaliação cautelosa. Não é a primeira vez que Centeno faz um aviso deste género.

“Com a incerteza elevada e a recuperação ainda parcial, os riscos de uma retirada precoce dos apoios parecem sérios, exigindo avaliações cautelosas. A modulação adequada das estratégias de saída deve levar em consideração a evolução dos desenvolvimentos sanitários, económicos e financeiros”, referiu Centeno, na intervenção de abertura da Money Conference.

O antigo ministro das Finanças sublinhou ainda que “não chegámos à crise pandémica sem o trabalho de casa feito” e sublinha o trabalho dos últimos anos.

Desalavancagem financeira, investimento, mais emprego e mais eficientes. Foi este o retrato do país que construímos após a crise soberana e até ao final de 2019. Devemos isso ao esforço das empresas portuguesas”, referiu o governador do supervisor da banca.

No início da semana, Centeno defendeu que devem ser focadas e temporárias as políticas públicas de combate à atual crise, caso do apoio aos trabalhadores com dificuldade de integração no mercado de trabalho pós-pandémico.

Perante isto, defendeu, as políticas públicas de combate à crise, provocada pela pandemia de Covid-19, e suas consequências “devem atuar na margem” e através de apoios temporários.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário

error: O conteúdo está protegido !!