Moçambique pede reestruturação da dívida com Brasil

Está em causa da decisão, as dificuldades que Moçambique enfrenta para honrar compromissos assumidos devido há vários constrangimento, dentre os quais a Covid-19 e os conflitos armados.

A estrutura da dívida está segmentada em cerca de 177 milhões de dólares alocado na construção do Aeroporto de Nacala, 57 milhões do projecto da construção da barragem Moamba Major interrompido em 2016 devido o cancelamento do financiamento, 32 milhões dos projectos relativos a mecanização agrárias, entre outros.

A solicitação moçambicana foi bem acolhida pela contraparte brasileira, mas aguarda uma resposta definitiva depois da avaliação da proposta final dos termos de amortização que resultarão das negociações entre os ministérios das finanças dos dois países, que, em princípio, deverão reunir brevemente para tratar do expediente.

A informação foi avançada ontem, em Maputo, pelo Director para a Europa e Américas, a nível do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Santos Álvaro, dando briefing sobre o encontro virtual entre a ministra moçambicana Verónica Macamo e o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, numa reunião que discutiu relações bilaterais entre os dois países.

“Neste encontro, Moçambique pediu ao Brasil para que pondere termos de reestruturação alternativa que oferece alargamento da maturidade da dívida e isenção dos juros de moura. Pretende que a dívida seja tratada bilateralmente entre os dois estados”, disse a fonte.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário