Moçambique com 131 mortes por COVID-19, das quais 100 na cidade de Maputo

Um homem de 76 anos de idade morreu este domingo, na cidade de Maputo, devido à infecção pelo novo Coronavírus, elevando para 131 o total de mortes em Moçambique, 100 do quais na capital do país.

A directora nacional adjunta de Saúde Pública, Benigna Matsinhe, disse que o paciente, de nacionalidade moçambicana, morreu em consequência do “agravamento” do seu estado de saúde durante a hospitalização na capital moçambicana.

Em Novembro houve 39 óbitos, 31 em Outubro e 38 em Setembro, indica a análise epidemiológica apresentada esta segunda-feira pelo Ministério da Saúde. O menor número de óbitos, dois, aconteceu em Maio. Em Junho houve quatro e em Julho cinco.

Até o momento, o país conta com um cumulativo de 619 pacientes internados, dos quais 47 ainda acamado nos centros de internamento para doentes com COVID-19 e em algumas unidades sanitárias. Pelo menos 89.4% destes enfermos encontram-se na cidade de Maputo).

Refira-se que 537 pacientes foram registados na cidade de Maputo, 19 em Nampula, 10 na província de Maputo, nove em Gaza e igual número na Zambézia, sete em Sofala e igual número em Cabo Delgado e Inhambane. Manica e Niassa registaram um doente acamado cada.

“Os pacientes internados padecem de patologias crónicas diversas, sendo que as mais frequentes são a hipertensão arterial e as diabetes”, disse a dirigente, acrescentando que dos 47 doentes acamados, “28 apresentam estado clínico moderado, 17 estão em estado clínico grave e dois em estado clínico crítico”.

A COVID-19 continua a propagar-se em Moçambique, porquanto mais de 88 pessoas testaram positivo para a doença de domingo para segunda-feira.

Deste modo, 15.701 pessoas já foram infectadas pelo novo Coronavírus no país, sendo 15.394 de transmissão local e 307 importados, segundo esclareceu a directora nacional adjunta de Saúde Pública.

Entretanto, mais 52 pessoas estão livres do vírus no país. Os novos pacientes já sem a COVID-19 são das províncias de Maputo (22), Zambézia (17), cidade de Maputo (11) e Inhambane (02). Todos os pacientes são de nacionalidade moçambicana.

O total de pessoas sem a COVID-19 subiu para 13.729. Ou seja, 87.4% dos indivíduos infectados (15.701), desde Março último, estão curados.

Moçambique conta actualmente com 1.837 casos activo. Destes, o grosso é da cidade de Maputo, com 1.590, e o menor número é do Niassa, com apena cinco.

Aliás, a maior taxa de positividade em Moçambique, nas últimas duas semanas, foi na capital Maputo, com 9,9%, seguida pela província de Maputo, com 8,0%. Os dois pontos do país testaram, no período em alusão, cerca de 4.000 e 1.000 pessoas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário

error: O conteúdo está protegido !!