MISAU diz que SADC deve reforçar planos conjuntos para disponibilizar vacinas da COVID-19

As campanhas de vacinação contra a COVID-19 estão em rápido progresso em várias partes do mundo, mas o processo é lento na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Numa reunião virtual extraordinária com os seus homólogos da SADC, o titular da pasta de Saúde em Moçambique, Armindo Tiago, reiterou que os países da região devem “reforçar acções colectivas de combate à pandemia, sem se esquecer do fardo de outras doenças. Devemos, de forma sábia, capitalizar os ganhos, implementando acções cada vez mais sinérgicas, demonstrando sempre valores solidários’, frisou Armindo Tiago.

Ainda no evento, o responsável pela pasta da saúde no país frisou, igualmente, a necessidade de fortalecimentos de capacidades de combate à doença viral entre os Estados-membro da região.

“Apesar dos esforços e dos progressos alcançados entre os Estados-membros até ao momento em relação à COVID-19, existe ainda a necessidade de fortalecer e reforçar planos conjuntos para garantir a disponibilidade da vacina contra a doença, bem como manter os ganhos alcançados na nossa região. Portanto, os Estados-membros deverão continuar engajados na luta para a redução do aumento de casos e da mortalidade pela COVID-19”, disse.

“O nosso Governo, em articulação com o sector-privado nacional, irá, em breve, fazer uma aquisição massiva de vacinas por forma a conseguirmos vacinar outros grupos, cumprindo, deste modo, o princípio de abrangência do processo de vacinação”, garantiu o ministro.

Além da fraca disponibilidade de vacinas para proteger a população contra a pandemia, Armindo Tiago referiu-se igualmente a vários constrangimentos, dos quais o curto prazo de validade dos imunizantes.

“Apesar dos níveis satisfatórios do processo de vacinação, ainda persistem alguns desafios, como a disponibilidade de vacinas. A recepção de vacinas em quantidades reduzidas dificulta uma boa planificação da vacina e não permite alcançar as coberturas necessárias. O prazo de validade leva a constrangimentos de gestão do sistema, necessidade de fazer a vacinação em muito curto espaço de tempo e não permite a eficácia no processo”, destacou o governante.

Segundo Armindo Tiago, pelo menos 82.628 profissionais de saúde já receberam duas doses da vacina contra a COVID- 19.

Deixe seu comentário