Marinheiros matam dois insurgentes após serem raptados

A notícia é avançada esta quarta-feira, 12 de maio, pela Carta de Moçambique, indicando que o acto ocorreu há dias, na Ilha Makolowe, uma das 50 pequenas ilhas que compõem o paradisíaco Arquipélago das Quirimbas, na província de Cabo Delgado.

Segundo as fontes deste jornal, tudo começou quando os terroristas, em grupo de seis, invadiram aquela ilha localizada nas proximidades do distrito de Macomia, tendo mantido refém um grupo de deslocados, pescadores e três marinheiros, que se encontravam à espera de resgate para a cidade de Pemba.

As fontes da Carta de Moçambique contam que, chegados naquele local, os insurgentes fizeram alguns disparos para o ar, antes de seleccionarem um grupo de 30 pessoas para seguir ao distrito de Mocímboa da Praia.

Para “escoltar” as 30 vítimas, quatro insurgentes foram destacados para embarcar no referido barco, enquanto outros dois foram ordenados a entrar num outro barco, onde seguiram também os três marinheiros e o pescado conseguido pelos pescadores locais.

Sucede que, durante a navegação, escreve a Carta citando suas fontes, os marinheiros decidiram encalhar num coral, alegando que a maré era baixa, para, momentos depois, empurraram os dois terroristas para o mar e escapar dos terroristas, tendo navegado até à Ilha de Matemo.

Deixe seu comentário