MAHEL DIZ QUE VAI PASSAR A COBRAR 50 MIL METICAIS PARA IR AS TELEVISÕES

O polémico músico moçambicano, Ivo Mahel, deixou mais uma vez a sua marca registrada, desta vez o músico deixou um claro recado para os proprietários de instituições televisivas e os seus respectivos apresentadores.

Através de suas redes sociais, Mahel reafirmou a sua nova regra para se fazer presente em programas televisivos, segundo este a sua presença em quaisquer que seja a estação televisiva, será sob o pagamento de 50 mil meticais.

Para o cantor, este é um preço mais do que justo, pois sendo ele um músico, este é o seu trabalho e deve ser pago.

O autor de “Mamã”, fez questão de mencionar os apresentadores aos quais direcionava a sua mensagem, sendo eles, Fred Jossias, Puto Aires, Sérgio Faife, Dygo Boy, Deny Ripanga, Relâmpago, Boneca Barbie e Gabriel Júnior.

Na sequência, o cantor referiu que as televisões fazem centenas de milhares de dinheiro com os seus compromissos publicitários, pondo se a questionar o porquê do apresentador ter um bom salário, mas, o convidado que é o responsável por trazer audiência não receber nada.

“São 25 anos de Televisão, eu sempre lá a apoiar, sem ser pago por isso. No estrangeiro, todas televisões pagam os artistas no geral para sua participação”, explicou.

O músico, considera injusto o facto do palco televisivo servir para beneficiar os dois lados, sejam do apresentador, bem como do convidado, porém apenas um ganha mais, neste caso o apresentador.

Mahel foi além, afirmando que já era o tempo em que os apresentadores e as televisões usavam a desculpa de estar a promover o artista, “temos fama em absoluto e audiência custa tempo e dinheiro”, reiterou o músico.

O cantor se considera o pioneiro de muitos movimentos culturais no país, entretanto como sempre saí a perder, enquanto outras pessoas se beneficiam.

“Há uns anos, falei que o cachê de um artista devia ser acima de cinco mil e quinhentos meticais, apesar de eu não me beneficiar desses cachês, já existem vários cantores ganhando com as minhas reclamações”, referiu.

Embora não se beneficie, o músico considera as suas reclamações boas, porque acredita que a sua existência neste mundo serve para melhorar a vida de muitos cantores moçambicanos.

“E lembrem-se que, neste tempo do covid-19, os únicos palcos onde se pode desfilar pela autorização da lei, é só a Televisão e faz 2 anos que os cantores não tem shows”, sublinhou o cantor.

Você pode gostar...

Deixe seu comentário