JN: “ Estamos A Pedir Ver Imagens Do Insurgentes Abatidos”

Carta Aberta

Tudo bem, empregado do povo? Nós, o seu patrão, não estamos nada bem. Temos motivos de sobra para isso. Primeiro: o Presidente disse há dias que “temos informações que destacados quadros dessa força foram mortos”, em referência aos insurgentes que aterrorizam Cabo Delgado desde 2017. Contudo, até aqui não nos foi apresentado nenhum corpo. Não há nenhuma prova de que efectivamente eles foram mortos. Como é que quer, o Presidente, que o seu patrão, o povo, acredite?

Primeiro foram os seus ministros que disseram que havia mais de 50 terroristas abatidos. E ficou-se nisso. Prova nada. 50 terroristas não é pouca coisa. Onde é que estão os corpos? Por que ninguém não viu nada? Em que parte de Cabo Delgado foram enterrados. Incineraram os corpos? E ninguém viu nada? Só os ministros?

E não adianta alguém vir em seu auxílio e dizer que não é preciso mostrar nada. É preciso sim. Mesmo para desencorajar os jovens que ainda têm pretensão de se filiarem aos insurgentes. Jonas Savimbi foi capa de muitos jornais angolanos e do mundo fora. O Governo angolano mostrou que o tinha abatido. Essas fotos têm um impacto muito grande. Samora Machel sabia muito bem disso. Quando o exército governamental destruía uma base da Renamo, chamava a imprensa para testemunhar. No seu Governo só se chama a imprensa para ir a um suposto cativeiro e testemunhar um suposto resgate de um suposto sequestrado. Só…

Tudo bem: que não nos mostrem os corpos. Pelo menos digam quem são. Sua nacionalidade e tais. Isso já é suficiente. É melhor que palavras e querer que o povo as engula.

Pelo menos é incontestável que eles-os insurgentes- estão a levar vantagem em Cabo Delgado. Há dados concretos de que já fizeram centenas de vítimas. Há provas fartas de que o número de deslocados que abandonam as suas aldeias está em crescendo. Gravam vídeos a içarem as suas bandeiras. A queimar aldeias. Para qualquer um que quiser ir a Macomia hoje e tiver sorte de lá chegar, há-de encontrar um rasto de destruição, fruto da recente incursão dos insurgentes.

E o Governo só tem palavras…

Não acha, o Presidente, que esta é altura de arranjar uma nova táctica? Falar não basta. Desde quando que diz que somos o seu patrão? Acha que acreditamos? Patrão é quem manda. Como é que temos um empregado que manda em nós e até aumenta-se o salário quando entende?

Empregado que come a maior fatia do bolo? Até exclui o patrão. À mesa, é o empregado o primeiro a servir. Ele fica com o melhor naco e o patrão só apanha ossos se tiver sorte ou migalhas de arroz que, por ventura, cairão!

À sua próxima aparição, tente fazer diferente. Primeiro: até estaríamos a louvar a sua ida a Cabo Delgado. Foi muito bom para a moral das Forças de Defesa e Segurança, mas estragou ao falar de quadros abatidos sem, contudo, mostrar as provas.

(Justiça Nacional, siga-nos no Facebook)

Deixe seu comentário