Hino solidário junta Selma Uamusse e Stewart Sukuma a artistas portugueses

De Lisboa chegam novidades. Os músicos Selma Uamusse  e Stewart Sukuma  estão entre os diversos artistas convidados pela Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) AIDGLOBAL – Acção e Integração para o Desenvolvimento Global, de origem portuguesa e com delegação no Chibuto, para a gravação do seu hino Para quem depois vier.

De acordo com a AIDGLOBAL, os artistas moçambicanos juntam-se aos portugueses Ana Laíns, Carla Pires, Carlos Moisés, Célia Leiria, Cherry, Duarte, Joana Amendoeira, Paulo de Carvalho, Rodrigo Costa Félix, Rogério Charraz, Sebastião Antunes & Quadrilha, Silvana Peres e Marta Pereira da Costa para, a uma só voz, destacarem a importância da Educação, com enfoque nas áreas da Literacia e Cidadania Activa, os pilares da missão da AIDGLOBAL.

Para quem depois vier foi escrito e composto pelo cantor e autor Sebastião Antunes e é lançado no momento de celebração do 15º aniversário da ONGD. “Este Hino simboliza tão bem o nosso trabalho, representa 15 anos a contar histórias com finais felizes, investindo dia-após-dia numa Educação de Qualidade, através da implementação dos nossos projectos, em Portugal e em Moçambique, porque acreditamos que a Mudança acontece pela Educação”, afirma Susana Damasceno, Fundadora e Presidente da Direcção da AIDGLOBAL.

Segundo Stewart Sukuma, citado pela AIDGLOBAL, “é muito importante que a solidariedade faça parte do nosso ADN”. Referindo John Donne, o autor afirma ainda que “nenhum homem é uma ilha isolada, cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra. Se um torrão é arrastado para o mar, a Europa, África, América, ficam diminuídas, como se fossem um promontório, como se fossem a casa dos teus amigos ou a tua própria. A morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do género humano. E, por isso, não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti.” Para o artista, “foi um prazer colaborar com outros artistas tão valiosos, para uma causa tão nobre como a Educação. Agradeço à AIDGLOBAL o convite e a oportunidade. Juntos vamos mais longe”.   

 Na mesma nota da AIDGLOBAL, Selma Uamusse expressou: “os meus sinceros parabéns à AIDGLOBAL pelos 15 teimosos anos a acreditar que a Mudança vem através da Educação e em particular por trazerem este lema para o meu país, Moçambique. É uma grande alegria poder celebrar convosco a extensão do direito à Educação a todos, para que realmente o mundo seja cada vez menos desigual e para que as oportunidades e o acesso a este bem precioso, a Educação e Literacia, possam estar ao alcance de todos. Khanimambo pelo vosso amor, empenho e dedicação. Kulungwana!”.  

 Às 19h de dia 4 de dezembro21h de Moçambiqueo tema  será divulgado, a partir do canal oficial de YouTube de Sebastião Antunes, “Para quem depois vier”, estará disponível nas redes sociais e Website da AIDGLOBAL e nas plataformas de streaming, sendo que por cada visualização ou audição do Hino, há um valor que reverte a favor da AIDGLOBAL para a concretização dos seus projectos em Portugal e em Moçambique, como a ampliação da Rede de Bibliotecas Escolares do Distrito do Chibuto; a criação e implementação de Escolinhas para a 1ª Infância em contextos rurais na Província de Gaza; a elaboração de recursos pedagógicos para docentes; a capacitação de professores na área da Educação e da Cidadania Activa e a sensibilização e mobilização dos jovens para o voto.

Para lançar o Hino “Para quem depois vier”, a AIDGLOBAL gravou um vídeoclipe em Portugal Continental, na Região Autónoma da Madeira – na Ilha Porto Santo, onde abriu uma delegação em 2018, e em Moçambique – Maputo e Chibuto, distrito em que se localiza a sua delegação desde 2009.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário

error: O conteúdo está protegido !!