Governo mantém certeza de produção agrária favorável este ano

A chuva que cai nas últimas semanas por quase todo território nacional, com destaque para as zonas sul e centro do país, está a causar impactos diversos. O Executivo já contabiliza, de forma preliminar, alguns danos.

“Foram afectadas cerca de 11.411 pessoas, 2.330 casas, bem como 15 estradas”, revelou Ludovina Bernardo, vice-ministra da Indústria e Comércio e porta-voz designada para a 5ª sessão ordinária do Conselho de Ministros, que teve lugar esta terça-feira.

No entanto, a porta-voz assinalou que, apesar dos impactos registados com a passagem da chuva, as projecções para a campanha agrária 2020-2021 continuam as mesmas.

“Há informação sobre a perda de algumas áreas de produção, mas isso não prejudica aquilo que é o resultado em relação às outras zonas onde não há registo de fenómenos de baixas pressões e chuvas intensas”, disse Ludovina.

A porta-voz garantiu ainda que “o resultado que as equipas técnicas estão a realizar no terreno demonstra resultados encorajadores e positivos”.

Ludovina sublinhou assim, que mantém-se a estimativa de crescimento favorável situado em 8%, no sector agrário.

“Prevê-se, igualmente, que tenhamos cerca de 192 mil novos empregos para a área da agricultura, o que também irá beneficiar mais de 174 mil produtores em termos de rendimento”, destacou a porta-voz.

Nesse âmbito, Ludovina informou igualmente que a certeza do Executivo quanto às previsões favoráveis no sector agrário prende-se pelo facto de, também, ter havido, até ao momento, 255 famílias assistidas, 2.158 agentes de extensão rural capacitados, assim como a previsão na contratação de 3.451 extensionistas, no âmbito do projecto Sustenta.

Aliás, a porta-voz assinalou que no quadro do sector agrário, está assegurada a disponibilidade de insumos agrícolas como sementes, fertilizantes, adubos, entre outros, o que vai garantir o aumento da produção e produtividade.

Ora, no momento, para responder aos impactos das chuvas, o Governo ainda não sabe quanto necessita, mas já avançou equipas multissectoriais no terreno para fazer o levantamento.

“Depois desse levantamento serão feitas as projecções de quais são os recursos necessários para podermos intervir e repor aquilo que são as infraestruturas danificadas”, garantiu, habitual briefing à imprensa, após a sessão do Conselho de Ministros.

Na sessão desta terça-feira, o Governo aprovou, igualmente, a revisão do Estatuto do Instituto Nacional de Refugiados, bem como apreciou diversas informações, entre as quais o processo de construção de tribunais de distrito, no âmbito da iniciativa “Um Distrito, Um Tribunal”.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário