Fiscais das pescas em Cabo Delgado denunciam esquemas no negócio do camarão

Alguns pescadores do banco de Sofala continuam a capturar o camarão em pleno período de defeso. A denúncia foi feita pela equipa de fiscalização pesqueira de Cabo Delgado, após a apreensão de cerca de 250 quilogramas de camarão seco, no posto de controlo do Rio Lúrio, que supostamente foi capturado na província de Nampula.

Alguns pescadores e comerciantes capturam o camarão em Nampula e como em Cabo Delgado não há veda do camarão, levam para Cabo Delgado, e depois voltam a tirar desta província para os locais onde vigora o período de defeso, que é o banco de Sofala, declarando ter saído de Cabo Delgado”, revelou José Daudo, chefe da Fiscalização da Pesca em Cabo Delgado.

Além do camarão, Cabo Delgado continua a registar a circulação do caranguejo do mangal, que à semelhança do camarão, também é proibida a sua captura e comercialização por estar em período de defeso.

“No ano passado tínhamos cerca de uma tonelada de caranguejo que foi devolvido para o seu habitat, e este ano pelo esforço da direcção nacional das operações, foram cerca de dois mil toneladas que também foram devolvidos ao seu habitat”, confirmou José Daudo.

Além de camarão e caranguejo que estão em período de veda, na operação de fiscalização da pesca foram apreendidos outros produtos marinhos que são contrabandeados e escondidos em viaturas que entram e saem de Cabo Delgado.

Desde que iniciou esta medida, a fiscalização de pescas em Cabo Delgado passou multas avaliadas em mais de 250 mil meticais.

O defeso do Caranguejo começou a 15 de Outubro último e termina no próximo dia a 31 de Dezembro e do camarão que abrange apenas o banco de Sofala, iniciou a 15 de Novembro deste ano e termina a 31 de Março de 2021.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário

error: O conteúdo está protegido !!