FDS retomam o controle de Palma

Já está sob total controle das Forças de Defesa e Segurança (FDS) a vila-sede do distrito de Palma, no norte da província de Cabo Delgado, após 11 dias de acesos combates com o grupo terrorista que invadiu aquele ponto do país no passado dia 24 de Março.

A informação foi avançada este domingo pelo porta-voz do Teatro Operacional Norte, o Brigadeiro Chongo Vidigal, durante a apresentação dos resultados das operações da reconquista de Palma à imprensa e ao Governador da província de Cabo Delgado.

Segundo Vidigal, o Aeródromo de Palma, localizado na saída da sede distrital em direcção ao Posto Administrativo de Quionga, era o único ponto que ainda não tinha sido verificado pelas FDS, acção que teve lugar este fim-de-semana.

“Concluímos a clarificação [do Aeródromo]. Era a única área sensível que nos faltava fazer a clarificação. Está completamente segura. Penso que mesmo nos próximos tempos, se houver alguma ponte aérea para prover alimentação às populações que estão a regressar, pode ser usada sem nenhum problema”, garantiu o porta-voz do Teatro Operacional Norte, em entrevista à jornalistas presentes no local.

“Estamos a avançar para uma fase um pouco crítica à semelhança da primeira (da reconquista), que é ir recebendo a população que tinha acorrido às matas. É crítica porque precisa de muita acutilância, muita atenção, muita ponderação por parte das Forças, no sentido de receber essa população e ao mesmo tempo ir fazendo a profilaxia para evitar que alguns elementos se aproveitem dessa situação e possam, mais tarde, nos criar problemas no terreno”, explicou a fonte.

Desde a tarde do passado dia 24 de Março (uma quarta-feira) que os terroristas tinham invadido a vila-sede de Palma, matando “dezenas de pessoas”, de acordo com o Ministério da Defesa Nacional, e causando milhares de deslocados. O grupo sabotou o sistema de comunicação, deixando o distrito incomunicável, para além de ter destruído diversos edifícios públicos e privados. Até esta segunda-feira, há famílias que ainda não sabem do paradeiro dos seus parentes.

Presente no local, o Governador da província de Cabo Delgado, Valige Tauabo, assegurou que “o inimigo foi derrubado”, devendo ser garantido o regresso seguro dos deslocados. “A nossa presença é por sabermos que as Forças de Defesa e Segurança se entregaram à causa da pátria. O trabalho que foi feito fez com que o inimigo fosse derrubado”, declarou aos jornalistas, em Palma.

Referir que o ataque à vila-sede de Palma precipitou, mais uma vez, a paralisação das actividades de construção da Fábrica de Liquefação de Gás Natural. A insegurança foi, mais uma vez, o mote da evacuação dos trabalhadores da Total.

Sublinhar que é pela primeira vez que as FDS tomam, em combate, o controle de uma vila-sede de Cabo Delgado. Em 2020, lembre-se, os terroristas invadiram sucessivamente as vilas de Mocímboa da Praia, Quissanga e Macomia, tendo de seguida se retirado após várias horas de ocupação efectiva. Aliás, das sedes distritais invadidas em 2020, a de Mocímboa da Praia continua sob controle do grupo. (Carta Moçambique)

Deixe seu comentário