EUA anunciam investimentos contra disparidades raciais

O governo dos Estados Unidos da América anunciou, hoje, um investimento para acabar com as disparidades raciais em diversos sectores, como laboral, habitação, educação e alterações climáticas.

Segundo a directora do Serviço da Casa Branca para os Assuntos Intergovernamentais, Julie Rodríguez, as desigualdades na economia e na sociedade dos Estados Unidos da América são de longa data.

“Sabemos que, durante várias gerações, as disparidades, na nossa economia e na nossa sociedade, tornaram-se mais difíceis para as comunidades negras terem uma parte justa do sonho americano”, disse Julie Rodríguez.

Para ultrapassar o problema, está na hora de alocar investimentos que a população espera, sobretudo para enfrentar o racismo sistémico, disse Julie Rodríguez, durante uma conferência de imprensa.

Para Rodríguez “já é hora de implementar investimentos esperados há muito tempo para enfrentar o racismo sistémico e reconstruir a nossa economia e a nossa rede de segurança social para que todas as pessoas nos EUA possam desenvolver o seu potencial”.

A iniciativa do executivo norte-americano faz parte do chamado Plano de Emprego, apresentado, na quarta-feira, por Joe Biden, com investimentos em infraestruturas e para a criação de postos de trabalho.

Todavia, o documento ainda precisa da aprovação do Congresso, que inclui fundos para atacar as desigualdades em várias áreas.

De acordo com um comunicado da Casa Branca, o plano em alusão inclui cem mil milhões de dólares para os programas de desenvolvimento de mão-de-obra, cuja finalidade é capacitar os estudantes de minorias étnicas para os empregos com a maior procura.

O plano pretende, igualmente, reduzir a distância digital, uma vez que as famílias negras e latinas têm menor acesso à banda larga do que as brancas.
Outro ponto, mencionado por Julie Rodríguez, é referente às infraestruturas.

“Sabemos que as pessoas de cor negra têm duas vezes mais probabilidades do que as brancas de depender do transporte público”, referiu.

Neste sentido, o plano contempla a construção de infra-estruturas de transporte e sistemas públicos mais equitativos, num investimento estimado em 15 mil milhões de dólares, em um programa que pretende criar ligações entre os bairros historicamente com más ligações.

Deixe seu comentário