Está cada vez mais difícil circular pela EN4

Na EN4, tornou-se um calvário circular no troço “Novare-Tchumene”, passando pelo cruzamento de Malhampsene, no município da Matola, devido ao congestionamento. Os automobilistas consideram a situação “insuportável” e exigem medidas para garantir a fluidez do trânsito.

Tráfego intenso é a imagem que caracteriza, todos os dias, nas primeiras horas, a Entrada Nacional número quatro (EN4). O troço mais conhecido por “Novare-Tchumene”, passando pelo cruzamento de Malhampsene, é apontado como dos mais críticos e a situação agrava-se pelo facto de a via ter uma faixa de rodagem em cada sentido.

Naquele troço, o tráfego rodoviário flui com dificuldades, camiões com diferentes e pesadas cargas misturam-se com viaturas ligeiras, tornando a marcha lenta e insegura. Assiste-se a transgressões de regras elementares de trânsito.

Augusto Muianga, um dos automobilistas abordados pela nossa reportagem, responsabiliza os camionistas pelo congestionamento. “Estamos a passar mal com engarrafamento, antes de Tricamo há engarrafamento todos os dias. Na minha opinião, para resolver-se isto, talvez os camionistas andassem de noite para permitir que as pessoas não atrasem ao serviço por causa do engarrafamento”.

Quem também conduz camiões passa por aborrecimentos ao enfileirar-se na fraca fluidez de trânsito. João Manhique conta o calvário vivido naquela via. “Quase todo o dia temos engarrafamento, não sei se a solução seria a ponte para que os carros pudessem passar, porque de manhã até as 10horas…todo o dia temos engarrafamento”
Face a esta situação, os automobilistas apelam à intervenção das entidades competentes para resolver o problema.

E a existência desta estrada paralela à EN4, ainda que não esteja asfaltada, tem sido o ponto de fuga para muitos automobilistas que não suportam o congestionamento, como é o caso de Salvador Mauai, que se dedica ao transporte escolar e, para não atrasar os alunos, segue por aquela via alternativa de terra batida.

A concessionária da Estrada nacional número quatro (TRAC) sabe do problema e garante que até ao próximo ano vão iniciar obras de requalificação deste troço entre “Novare -Tchumene”. A garantia vem da voz de Fenias Mazive, representante da TRAC em Mocambique. “A TRAC e Administração Nacional de Estradas trabalham em conjunto numa solução e essa solução consiste em alargar aquele troço que sai de “Novare até Tchumene” para passar das actuais duas faixas, uma em cada sentido para quatro faixas duas em cada sentido”. Disse Mazive, garantindo que, dentro em breve, o projecto será apresentado publicamente.

Enquanto as obras não arrancam, a polícia é intimada a estar naquele troço para garantir a fluidez do trânsito e ordem rodoviária.

Amândio General, um dos responsáveis da Polícia de Trânsito no Comando Provincial da PRM, em Maputo, explicou que, para reduzir o congestionamento, nas chamadas horas de ponta, a sensibilização dos automobilistas para se fazerem à estrada mais cedo, tem sido a estratégia.

Na hora de ponta, todos procuram vias de acesso a EN4, sobretudo porque no interior dos bairros a chuva inundou e degradou as estradas. O aceno de mão, de quem viaja por aquela rodovia, disfarça o aborrecimento causado pelo congestionamento.

Você pode gostar...

Deixe seu comentário