Esquadrão “locomotiva” já completo em Kigali à espera da estreia

O Ferroviário de Maputo já trabalha a pensar no primeiro jogo da Liga Africana de Basquetebol (BAL) que inicia já próxima semana, na Arena de Kigali, em Ruanda. São 12 equipas que disputam a primeira edição da prova, divididas em três grupos de quatro selecções cada e o campeão nacional está inserido no grupo C.

Com a chegada dos três reforços estrangeiros à bolha da BAL, em Kigali, a turma moçambicana de basquetebol sénior masculina, o Ferroviário de Maputo, já está completa e a preparar a estreia na competição, próxima segunda-feira, diante do Zamalec do Egipto.

Depois de ter chegado a Kigali, na terça-feira da semana passada (04), e ter cumprido um período de isolamento de cinco dias, os “locomotivas” começaram já a treinar com a integração dos quatro “estrangeiros”, nomeadamente, Álvaro Manso, espanhol que partiu de Maputo com a restante delegação, o baso congo-canadense Myck Kabongo, o costa-marfinense Adjehi Baru e o norte-americano Demarcus Holland, perfazendo, assim, os 13 chamados por Milagre Macome para esta competição.

Assim, o Ferroviário de Maputo iniciou, esta terça-feira, os trabalhos de preparação, numa primeira fase virados a questões de recuperação física e enquadramento dos jogadores que deverão adaptar-se ao conjunto.

 

DOIS JOGOS DE CONTROLO ANTES DO ZAMALEC

Aliás, o Ferroviário treinou-se pela primeira vez em conjunto devendo observar o mesmo plano de treinamento esta quarta-feira. Na quinta-feira, a turma “locomotiva” tem, pela frente, a primeira oportunidade de se testar frente a um adversário num jogo-treino, quando forem 17h30 de Maputo, diante dos malianos da Association Sportive de Police (AS Police).

Depois desse jogo-treino e antes da estreia, no sábado o Ferroviário volta a afinar a máquina, desta feita às 20h00, também de Maputo, antes os marroquinos da Association Sportive de Salé (AS Salé).

Os campeões nacionais marcam a sua estreia na Liga Africana de Basquetebol na próxima segunda-feira, 17 de Maio, pelas 17.00 horas, frente ao Zamalek do Egipto.

 

MILAGRE MACOME QUER ALEGRIA E DINÂMICA NA EQUIPA

Enquanto se cumpria o isolamento das equipas, a organização realizava o sorteio da sequência dos jogos, que ditou que os “locomotivas” iniciam a competição na segunda-feira diante do Zamalec do Egipto, seguindo-se o As Douane do Senegal, a 19 de Maio, terminando a primeira fase diante dos argelinos do GSP, a 22 do mês corrente.

Em reacção a este sorteio, o treinador Milagre Macome não retira nenhuma vírgula em relação ao poderio do adversário da estreia na prova, mas promete uma equipa do Ferroviário a jogar dinâmica e alegremente.

Citado pelo site do clube verde-e-branco, Macome começou por esclarecer que todo o grupo está saudável e pronto para preparar o jogo de estreia, depois de seis dias de isolamento. “Como deve saber, estávamos confinados em quarentena há seis dias. São as regras da organização. Saúde em primeiro lugar. Felizmente, até ao momento todos os membros do grupo de trabalho estão bem. Temos realizado testes da COVID-19 todos os dias. A organização é de outro nível. Estamos na verdadeira alta competição ou alto rendimento. Estamos satisfeitos por fazer parte desta Primeira Edição de uma liga profissional em basquetebol a nível africano. Fica para a história”, disse enaltecendo a boa organização da prova.

Quanto aos adversários na Região Nilo, grupo C, da BAL, o técnico do Ferroviário de Maputo, citado pelo site do clube, disse que “o primeiro adversário é o poderoso Zamalek, importa referir que os três adversários do grupo são fortíssimos. Aliás, são candidatos ao título. A nível do ranking dos seus países estão muito acima de nós. Não tínhamos por onde escolher. Cabe a nós, com humildade, espírito de equipa, compromisso e sentido de pátria, jogo a jogo tentar cumprir com os objectivos definidos”.

Mila reiterou ainda que “vamos tentar apresentar um basquetebol alegre, dinâmico e fundamentalmente jogo de equipa. Estamos cientes de que, em alguns momentos de jogo, teremos dificuldades, nesse caso teremos que ter inteligência suficiente para superar. A equipa está ansiosa e a realizar treinos individuais. Depois, pensaremos no primeiro jogo. Estamos satisfeitos por iniciar com o Zamalek. Vamos desfrutar do jogo, desinibidos, mas com os pés bem assentes na terra. Prometemos muito trabalho, trabalho, trabalho e trabalho”, concluiu.

Já o capitão da equipa, Custódio Muchate, foi cauteloso na abordagem sobre o primeiro adversário, mas também em relação a todos os outros, tendo assegurado que, se a sua equipa tiver que cair, será com honra e refuta a ideia de serem os «outsiders» do grupo.

“Esperamos disputar o jogo com o Zamalek, assim como as restantes partidas diante do AS Douane e GSP, da mesma forma. Sabemos que é um grupo de morte. O facto de nos ter calhado o Zamalek não significa que tenhamos que nos colocar como os «outsiders» do grupo. Se nos encontrarmos nesta liga africana é por mérito próprio, qualificámo-nos para esta competição. É certo que a nossa preparação teve algumas lacunas, como é o caso de jogo e, claro, como sendo a primeira vez em que o Ferroviário participa numa liga profissional desta dimensão, temos uma palavra a dizer” disse acrescentando que “creio que a motivação do grupo é boa”.

A Liga Africana de Basquetebol (BAL) vai decorrer de 16 a 30 de Maio em Kigali, no Ruanda. A primeira fase decorre de 16 a 23 de Maio, seguindo-se os quartos-de-final, entre os dias  25 a 26 de Maio, sendo que as meias-finais serão disputadas no dia 28. Um dia depois, deverá ser conhecido o terceiro classificado da prova e o grande vencedor, desta primeira edição, será encontrado no dia 30 de Maio.

Deixe seu comentário