Duelo de campeões no Songo

A União Desportiva do Songo e Ferroviário da Beira protagonizam, domingo, às 15h00, no campo da primeira formação, o jogo mais importante da jornada 9 do Moçambola-2021.

Conseguirá, ao cabo de oito jornadas, Nacir Armando quebrar o enguiço? É desta que o Matchedeje de Mocuba arranca a primeira vitória no Moçambola-2021? Terá, Nelson Santos, na sua estreia, o antídoto para colocar novamente o Ferroviário de Nampula na rota das vitórias? Conservará a endiabrada Associação Black Bulls a sua invecibilidade na prova?

Estas, e mais outras questões não arroladas aqui, estão na ordem do dia na retoma de duas semanas depois do Moçambola-2021, após um interregno para dar lugar ao “Triangular” envolvendo os Mambas, Eswatini e Lesotho.

Songo estará, seguramente, no centro das atenções. É naquele ponto do país onde dois assumidos candidatos ao título travam argumentos, num duelo que se espera, acima de tudo, muito bem disputado. À semelhança do que aconteceu em 2016, quando os “locomotivas” se sagram campeões nacionais. E os canos viraram para os “latifos”.

Sem o brilharete esperado nas primeiras rondas, a União Desportiva do Songo acabou por “sacrificar” Nacir Armando. O que é certo é que, mesmo com esta “chicotada psicológica”, os “hidroeléctricos” não acertaram o passo ocupando, disputadas oito jornadas, a sexta posição com 12 pontos.

Os números, a esta altura, não vão ao encontro do que se esperava: três vitórias, igual número de empates e duas derrotas.

Depois da derrota em Lichinga, por 1-0, a União Desportiva do Songo espera buscar em casa a fórmula táctica que se encaixe nas características do adversário. É preciso, por isso, partir para exibições mais seguras que tranquilizem a equipa.

Terceiro classificado com 18 pontos, os mesmos que o seu homónimo de Maputo, o Ferroviário da Beira quer pontuar para não perder de vista Associação Black Bulls, líder da prova.

Depois da mal digerida derrota caseira com o Ferroviário de Maputo (0-1), os “locomotivas” do Chiveve almejam a sua sétima vitória no Moçambola e manter-se na linha da frente na tabela classificativa.

Em Maputo, naquele que será o jogo de abertura desta jornada, a Associação Black Bulls aponta para mais uma vitória na recepção ao aflito Textáfrica de Chimoio.

Os “touros” já deram o exemplo da forma como conseguem perceber os momentos do jogo. E é precisamente por serem um conjunto coeso, solidário e com força mental que lideram isoladamente o Moçambola-2021 com 22 pontos.

Ainda que perca, o que não está nas contas dos técnicos, a ABB mantém-se no topo da tabela classificativa.

Em Tchumene, o Textáfrica de Chimoio tem a árdua tarefa de impor a primeira derrota à equipa sensação da prova e dar um sinal de “existência” para sair da zona de despromoção.

À entrada desta jornada, os “fabris do planalto” ocupam a décima terceira posição com apenas cinco pontos, resultantes de uma vitória, cinco derrotas e dois empates. Há que arrepiar caminho, há que dar muito mais para uma manutenção tranquila.

Em Quelimane, temos jogo de estreias. Nos bancos técnicos, diga-se. No Matchedje de Mocuba, Nacir Armando procura diante do Ferroviário de Nampula alcançar a primeira vitória dos “militares” no campeonato. Claramente pressionado por se encontrar na zona de despromoção e, porque o seu desafio passa precisamente por devolver a estabilidade e regularidade competitiva, Nelson Santos não vai facilitar.

O segundo classificado da prova, Ferroviário de Maputo, recebe, domingo, o Incomáti de Xinavani, numa partida em que os “locomotivas” da capital querem capitalizar o factor “casa” para alcançarem a quinta vitória consecutiva no Moçambola.

No “Santuário 25 de Junho”, o Ferroviário de Nacala bate-se com o campeão Costa do Sol, nono classificado e a precisar de pontuar para não perder terreno face aos seus concorrentes directos na luta pelo título.

Dois degraus acima da linha de água, os nacalenses tudo farão para contrariar o favoritismo dos “canarinhos” e encaixarem os três pontos.

Na ressaca da celebração dos 100 anos desde a sua criação, o Desportivo Maputo terá, domingo, o Ferroviário de Lichinga. Não se perspectiva um jogo fácil para os “alvi-negros”, até porque os “locomotivas”, com um saldo de quatro vitórias e igual número de derrotas, têm criado algumas dificuldades aos seus adversários.

Os “alvi-negros”, encostados à zona de despromoção”, não podem voltar a “vacilar” sob o risco de se arrastarem para mais uma época difícil e recorrerem a calculadora no final da prova.

Ejaita, o goleador 

Ejaita, avançado da Associação Black Bulls, lidera a lista dos melhores marcadores do Moçambola-2021, com sete golos em oito jornadas. Seguem-se Dayo (Ferroviário da Beira) e Henriques (Desportivo Maputo), ambos com seis.

Deixe seu comentário