Cruz Vermelha disponível para treinar FDS contra conflitos armados

A Cruz Vermelha de Internacional está disponível para treinar as Forças de Defesa e Segurança em matérias de violência e conflitos armados. A intenção foi manifestada ontem ao fim de um audiência concedida pelo Presidente da República, Filipe Nyusi ao Presidente da organização humanitária.

“Como Presidente do Comité Internacional da Cruz Vermelha nós também estamos interessados em treinar e estar em contacto com as forças armadas em matérias de violência e conflitos”, afirmou Peter Maurer que chegou sábado ao país, tendo começado por escalar Cabo Delgado para ver de perto a situação da população deslocada devido a violência terrorista nos distritos do norte daquela província. Sendo uma organização humanitária mostrou-se satisfeito pelo facto de ter sentido do Presidente da República abertura para que a instituição possa prestar ajuda na componente militar. “Já temos um plano de treinamento muito bom com as forças armadas moçambicanas e estamos muito encorajadas por ver esta reação positiva e o suporte do Presidente para estas actividades”, referiu.

Da parte do Estado moçambicano, o encontro serviu para Filipe Nyusi saudar a Cruz Vermelha pela assistência que tem prestado as vítimas do conflito que a província de Cabo Delgado vive desde 2017. “O encontro caracterizou-se por convergência de pontos de vista sobre a necessidade de reforçar e aumentar a assistência às populações deslocadas vítimas do terrorismo e as que efectivamente tiveram problemas com o ciclone”, disse Verónica Macamo, Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, em representação do Presidente da República.

Macamo prosseguiu explicando que “o Chefe de Estado acolheu com satisfação o compromisso reiterado pelo Presidente da Cruz Vermelha Internacional de prosseguir e aumentar o apoio às actividades de promoção do conhecimento e aplicação do direito internacional, da disponibilidade para manter e aumentar a assistência humanitária às populações necessitadas e o diálogo com o Governo de Moçambique”, concluiu.

A Cruz Vermelha presta assistência a quase 32 mil pessoas deslocadas e comunidades locais em Cabo Delgado na forma de utensílios domésticos, abrigo, sementes, ferramentas agrícolas, kits de pesca e apoio para irrigação.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário