Comandante Dos Raptos Morto A Tiros, Deixa Viúva E 16 Filhos Órfãos

Bernardo Timana, o suposto comandante da rede de raptos que actua em Maputo e Matola, assassinado na manhã duma terça-feira por indivíduos até aqui desconhecidos, deixou órfãos mais de uma dezena de filhos. São ao todo 16!

Segundo um anúncio de necrologia publicado no jornal “Notícias” desta quinta-feira, pela família, Bernardo Timana é pai de 16 filhos, dos quais sete homens e nove mulheres. Os nomes omitimos deliberadamente. Tinha duas esposas.
O funeral do malogrado teve lugar numa quinta-feira no município da Manhiça, província de Maputo.

Uma vida dedicada ao crime

Comentários de especialistas, nomeadamente de agentes da Polícia de Investigação Criminal (PIC) no activo e aposentados descreveram em poucas palavras ao semanário Canal de Moçambique o perfil de Bernardo Timane e quem poderá ter-lhe posto termo à vida.

Contaram-nos que a sua vida resumiu-se a alternar entre “luxo e cadeia”.
Sobre os prováveis autores da acção que pôs termo à vida deste “perigoso cadastrado”, Bernardo Timane, sugerem algumas hipóteses:

(1) A própria polícia como forma de eliminar um dos cérebros ou importante intermediários dos raptos, entre os mandantes e os executantes;

(2) Contratados por parentes de raptados ou assassinados por ordens de Timane;

(3) Bandos adversários de co-traficantes de drogas;

(4) Usuários dos grandes fundos extorquidos;

(5) Operacionais de raptos contratados por Timane e não pagos conforme o acordado.

“Neste caso o assassinato seria por ajuste de contas”.
Bernardo Timane, homem rico, ou pelo menos de muito dinheiro, era cliente assíduo da cadeia. A última vez que Bernardo Timane foi detido foi nos finais de 2012. Depois de submetido a juiz de instrução no Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, foi solto sob termo de identidade e residência.

Pesavam contra este Timane (há outros) acusações de raptos ou sequestros.
Esta posição do juiz de instrução criminal deixou o Comando Geral da Polícia muito agastado, uma vez que a Polícia dizia já ter juntado provas que o incriminavam como “cérebro das operações dos raptos”. Essa foi apenas a “última vez” em que Bernardo Timane esteve na cadeia. “Mais vezes e por diversos crimes já esteve detido”. “A última vez que ficou preso e por muito tempo era acusado de ter encomendando o assassinado do director da Cadeia Central da Machava, Jorge Microsse”. Bernardo Timane ficou muitos anos na cadeia, mas depois foi solto “por insuficiência de provas”.

A folha de registo criminal de Bernardo Timane diz que já passou várias vezes pela cadeia.

Dois anos após a Independência, em 1977, ficou preso na B.O, no famoso caso “papel cor-de-rosa” relacionado com a transferência de dinheiro para o exterior. Nessa altura Bernardo Timane foi condenado a uma pena de um ano da prisão mas fugiu da cadeia para a vizinha África do Sul.
Em 1981, Bernardo Timane teria escrito uma carta para o presidente Samora Machel e este tê-lo-á perdoado, como nos contam.
Em 1984, Bernardo Timane foi detido de novo no famoso caso “MLL”, relativo a carros roubados na África do Sul. Bernardo Timane já passou por várias vezes pela prisão, mas em quase todos os processos acabou sendo ilibado.
O filho mais velho de Bernardo Timane, Arlindo Timane, foi condenado há cerca de duas semanas a uma pena de 15 anos de prisão maior por ter sido provado em Tribunal de primeira instância estar envolvido no rapto do proprietário da fábrica Incopal, de nome Ibrahimo Gani.

Ainda correm na 6ª secção do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo dois processos contra o filho de Bernardo Timane, um no caso de rapto da familiar do proprietário da Delta Trading e outro de rapto proprietário dos Armazéns Favoritas, cuja sentença será conhecida dentro de semanas.
Fonte próxima da investigação está à procura do filho de Bernardo Timane, de nome Bernardo Timane Jr., mais conhecido por Bush, que está no role da Polícia como um dos operacionais mais perigosos dos sequestros.

Homem de dinheiro

Uma importante fonte ligada a meios policiais disse-nos que nos últimos dois anos, Bernardo Timane estava ligado a grandes fundos e à imobiliária, “a construir cerca de 100 casas nos bairros de Tchumene e Intaka” para além de “possuir uma grande frota de camiões Freight Line”.

Deixe seu comentário