Clubes com taxa de positividade da COVID-19 baixa podem regressar aos treinos

A questão dos testes da COVID-19 no Moçambola começou a ser levada a sério quando o Presidente da República suspendeu os treinos e a competição, como forma de evitar a propagação da Covid-19 no desporto. E como medida de prevenção, o Governo sugeriu que todos os intervenientes do Moçambola, jogadores, técnicos, staff e todos fossem testados.

Um desafio aceite na semana passada, o que fez com que todos intervenientes directos no Moçambola 2021 testassem, quinta e sexta-feira, como medida que iria permitir o retorno das actividades ora suspensas pelo decreto do Governo para prevenção da COVID-19.

Cinco dias depois da testagem em massa, os resultados dos testes apontam para uma taxa de positividade de 12.3%, ou seja, acima da média do país, que é de 10%, o que preocupa o governo.

A porta voz do Conselho de Ministros, Ludovina Bernardo, apresentou os números dessa testagem: “do total de testados foram 548 jogadores e desses 67 acusaram positivo. Em relação aquilo que é a taxa média prevista nesta testagem foi de 12.3%, o que é preocupante porque a taxa de positividade média em casos de testagem no país é de 10%”.

Em face a estes resultados, e mesmo sem mencionar os clubes autorizados, o governo tomou algumas medidas, dentre elas “que os clubes que tem uma taxa de positividade abaixo de 10% podem treinar, acautelando a exclusão de todos os jogadores que tiveram o resultado positivo” como medida que vai permitir que continuem a se preparar para o cumprimento dos compromissos que tem, nomeadamente o Moçambola, para além de que “será feita uma próxima testagem em massa no dia 26 de Fevereiro para aferir qual é o nível de positividade”, não só dos jogadores que testaram positivo, desta vez, mas para todos os intervenientes no Moçambola, segundo disse Ludovina Bernardo.

Ainda assim há medidas que devem ser tomadas pelos clubes do Moçambola para que os números da COVID-19 sejam melhor controlados. Dentre as medidas impostas pelo governo constam a testagem regular aos jogadores, treinadores e todo staff “com vista a cumprir aquilo que são os compromissos assumidos tanto pela Liga Moçambicana de Futebol e pela Federação Moçambicana de Futebol”, disse a porta voz do Conselho de Ministros desta terça-feira.

O Moçambola-2021 e os treinos das equipas que participam da prova, foram suspensos por 30 dias, desde o passado dia 8 de Fevereiro, altura em que tinha disputado apenas 4 jornadas, com a Associação Black Bulls a liderar a prova com 10 pontos.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário