África do Sul quer produzir vacina em cooperação com países BRICS

“O Governo ouviu o ‘toque de clarim’ feito pelos sul-africanos para acelerar a nossa capacidade para desenvolver e produzir as nossas próprias ferramentas covid-19, incluindo vacinas”, disse o ministro da Saúde, Zweli Mkhize, no parlamento, na Cidade do Cabo.

“É por esta razão que estamos em conversações com os nossos parceiros do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e o Governo de Cuba para colaborar na partilha de tecnologia que nos tornará independentes e autossuficientes no futuro em que haverá mais ameaças de saúde pública”, adiantou.

Zweli Mkhize, membro do Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), o partido no poder na África do Sul desde 1994, referiu também que recentemente, as autoridades sul-africanas estiveram “em discussões com Cuba para os envolver no desenvolvimento da sua vacina candidata”.

Na sua intervenção no debate parlamentar sobre o Estado da Nação, o ministro da Saúde sul-africano sublinhou que “o recente anúncio sobre a eficácia limitada da vacina AstraZeneca”, face à variante detetada na África do Sul, “foi certamente dececionante”.

“No entanto, estávamos determinados em não atrasar o nosso objetivo de vacinar em fevereiro”, salientou.

O ministro da Saúde sul-africano explicou que a África do Sul assegurou a aquisição de nove milhões de vacinas da farmacêutica norte-americana Johnson & Johnson, sendo que o primeiro lote de 80.000 doses será entregue esta semana.

A África do Sul, a economia mais industrializada do continente, tem previsto receber outras 500.000 de doses da mesma vacina nas próximas quatro semanas, e 20 milhões da Pfizer no final de março de 2021, segundo o ministro da Saúde sul-africano.

Nesse sentido, Mkhize disse que 380.000 profissionais da saúde já se registaram para a vacinação, salientando que o Governo identificou 20 centros de vacinação em todas as nove províncias do país para inocular 80.000 profissionais de saúde nas próximas duas semanas. O Governo pretende vacinar 67% da população até ao final do ano.

Com mais de 8,7 milhões de testes de covid-19 realizados desde março, a África do Sul, o país mais afetado pela pandemia no continente africano, regista 1.492.909 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 48.094 mortes associadas à covid-19.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Você pode gostar...

Deixe seu comentário